Trombose também é coisa de criança!

ADVENTH PEDIATRIC é um grupo de pesquisa da Unicamp que faz o registro de trombose venosa em crianças e adolescentes hospitalizadas na região de Campinas/São Paulo.

Recentemente, foram apresentados dados preliminares desse projeto no congresso da ISTH (Sociedade Internacional de Trombose).

Tenho muito orgulho de fazer parte desse projeto e achei interessante postar os dados aqui na minha página.

Nesse primeiro ano da pesquisa foram identificadas 21 crianças com diagnóstico de trombose; que revela incidência de 2 casos para cada 100 internações.

Lembrar que a causa da internação dessas crianças não era trombose, ou seja, a doença se desenvolveu no ambiente hospitalar.

Esse dado mostra a hospitalização como maior fator de risco para a doença na infância.

Com relação a localização, em 38% das crianças a doença ocorreu no membro superior enquanto em 47% delas a trombose afetou os vasos das pernas.

É uma diferença importante, quando comparado ao adulto, cuja doença se manifesta nos membro inferior em mais de 80% das vezes.

Outro dado que chama atenção é o cenário de gravidade que envolve os pequenos pacientes. Mais da metade deles estavam em UTI, em uso de respiradores ou com dispositivo vascular (cateter central) no momento do diagnóstico da trombose.

A imensa maioria dos casos (95%) ocorreu em crianças com alguma doença de base como câncer, cardiopatia, doença renal, intestinal entre outras.

Esses resultados são relevantes para o conhecimento da trombose venosa nas crianças brasileiras. Acredito que ajudará na criação de uma rede assistencial mais qualificada com impacto positivo na sobrevida dos pacientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *