Trombose infantil: Quando pesquisar trombofilia?

Trombose infantil, felizmente, é uma situação super rara. A prevalência é de cerca de 1 caso por 100.000.

O problema ocorre, na maioria das vezes, entre crianças hospitalizadas em estado crítico, uso de dispositivos vasculares (catéter) e com comorbidades de base.

Portanto, são os fatores de riscos externos os maiores predisponentes da doença na pediatria.

Trombofilia genética não é a causa principal da doença na infância.

Vou descrever aqui o perfil das crianças com trombose, onde se deve desconfiar de uma trombofilia hereditária:

1) Trombose espontânea, sem outros fatores de risco (mencionados acima);

2) Antecedente de trombose em familiar de primeiro grau;

3) Adolescentes com trombose após iniciar pílula anticoncepcional; na gestação ou pós parto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *