Trombose e Tabagismo

O ato de fumar (tabagismo) é fator de risco relevante para o surgimento de doenças vasculares como acidente vascular cerebral (AVCI), infarto cardíaco, obstrução arterial de membros inferiores e trombose venosa profunda (TVP).

O cigarro causa lesão na parede vascular, vasoconstrição, predisposição ao acúmulo de gorduras e formação de placas de aterosclerose com estreitamento e enrijecimento dos vasos sanguíneos. O conjunto desses fatores leva maior chance de formação de coágulos no sangue.

O fumante não prejudica apenas a sua saúde. Indivíduos próximos ao seu convívio, fumantes passivos, apresentam 30-50% mais risco de doenças cardiovasculares que aqueles que não têm contato com o tabaco.

Outro ponto que deve ser ressaltado é a pílula contraceptiva e tabagismo. O estrógeno, hormônio que compõe a pílula, altera mecanismos da coagulação com maior viscosidade sanguínea. A associação pílula e cigarro é catastrófica, com alto risco de TVP, mas também de AVCI e infarto cardíaco.

É importante lembrar que, os efeitos nocivos vasculares do tabaco nas usuárias de terapia hormonal na menopausa são ainda piores. Isso porque a idade aumenta exponencialmente o risco de TVP: acima de 40 anos de idade o risco dobra por década de vida.

O cigarro é a maior causa de morte evitável no mundo, além de reduzir em cerca de 20 anos a expectativa de vida. Portanto, o tabagismo deve ser veementemente combatido através de políticas estatais assim como ações dos vários setores da sociedade civil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *