Trombose e Cirurgia Plástica

Na entrevista concedida à Revista Antena RP eu reforço que os procedimentos hospitalares invasivos, como cirurgias plásticas, são situações de risco para o desenvolvimento da doença.

A exposição de influenciadores em redes sociais com resultados “perfeitos”, fez com que pacientes fossem motivados a realizar esses procedimentos.

Não há nada de errado mudar, mas além da vontade é necessário assumir todos os riscos.

1) Há exames que identificam predisposição para trombose?

Sim.
No entanto, devem ser sempre pesquisados em um contexto clínico bem definido e sob supervisão de um especialista.

2) É possível ocorrer trombose após algum procedimento estético?

Sim.
Especialmente em procedimentos hospitalares invasivos como cirurgias plásticas (lipoaspiração, abdominoplastia, mamoplastia). O paciente deve estar ciente que, de modo geral, cirurgia é uma situação de risco para desenvolvimento de trombose.

3) Quais sintomas podem aparecer para se identificar trombose?

Trombose é a presença de coágulos nos vasos sanguíneos. Na grande maioria dos casos, atinge veias das pernas, levando dor, inchaço na panturrilha, pele quente e avermelhada. Em casos mais graves, o coágulo pode atingir o pulmão, sendo chamado de embolia pulmonar. Situação muito grave com quadro súbito de tosse, falta de ar e dor no peito.

Dra. Tayana Mello
Hematologista, especializada em doenças da coagulação.
Membra da SBTH – Sociedade Brasileira de Trombose e Hemostasia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *