Tive Trombose – Devo Procurar um Hematologista?

Esse tema faz parte da minha rotina profissional.

É um questionamento frequente dos pacientes quando chegam pela primeira vez comigo no consultório:
”Fui encaminhado até aqui, mas não sei exatamente o motivo. Hematologista cuida de trombose?”

Realmente, queridos, as doenças trombóticas são primariamente abordadas por outras especialidades como cirurgia vascular, médico intensivista, neurologista ou cardiologista. No entanto, determinadas formas de apresentação dessas doenças levam a suspeitar de trombofilias. É aí que entra em ação o hematologista.

Trombofilias são anormalidades da coagulação, hereditárias ou adquiridas, que acarretam maior risco de formação de trombos, tanto nas veias (trombose venosa profunda – TVP), como nas artérias (AVCI, infarto cardíaco) do corpo.

Aqui vai um resumo de quando suspeitar de trombofilia:

1) Pessoas jovens, com idade inferior a 50 anos e/ou com antecedente familiar da doença;
2) Trombose espontânea, sem outras comorbidades ou fatores de risco evidentes. Esses fatores são aterosclerose, diabetes, hipertensão, obesidade, redução da movimentação (pós internação, pós operatórios, pós fraturas);
3) TVP em local incomum como membro superior, intestinal, cerebral, pulmão;
4) Trombose associada a alterações no hemograma (exame de sangue): anemia, plaquetopenia, leucocitose, plaquetose entre outros.

Bem, se algum paciente tem esse perfil é primordial avaliação hematológica. A investigação deve ser ágil para iniciar o tratamento e orientações sobre prevenção. Trombofilia eleva risco de novos episódios de trombose.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *