Potencial Inflamatório Alimentar e Risco Trombótico

As doenças trombóticas vasculares (infarto cardíaco, AVCI, trombose venosa) estão entre as causas mais relevantes de mortalidade mundial.

O caminho para prevenção dessas doenças passa pela incorporação de hábitos de vida saudáveis como dieta, atividade física, são os chamados fatores de risco modificáveis, ou seja, aqueles que dependem de nossa vontade.

Hoje vou falar com vocês sobre dieta.

São dados recentes de uma pesquisa (ver fonte) que comprova o perfil alimentar no risco cardiovascular, relacionado ao padrão inflamatório de cada grupo alimentar. Mas como assim, alimentos com maior ou menor potencial inflamatório?

Isso mesmo! É bem sabido que a inflamação crônica contribui para instalação de aterosclerose e trombose na circulação sanguínea. O que não estava bem definido é que a dieta seria uma fonte para eclosão inflamatória.

O estudo avaliou 200.000 indivíduos ao longo de décadas, com ênfase no padrão alimentar dessa população.

Para avaliar o teor inflamatório da dieta foram medidos biomarcadores de inflamação no sangue dessas pessoas.

Essa estratégia permitiu separar dois perfis alimentares: pró inflamatório e anti inflamatório.

Note que não estamos falando de alimentos específicos, mas sim de grupo de alimentos consumidos com frequência.

A conclusão foi a seguinte: indivíduos que consomem dieta padrão anti inflamatório (baixo teor inflamatório) tem cerca de 40% menos chances em desenvolver doenças cardiovasculares, comparados aqueles com dieta pró inflamatória.

Elaborei uma gravura para especificar quais são os principais alimentos que compõe esses dois grupos.

Guardem essa informação e incorporem a dieta anti inflamatória no seu cardápio.

Fonte:
https://www.jacc.org/doi/10.1016/j.jacc.2020.09.535

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *