Coronavírus (nCoV 2019)

Conhecer para prevenir, mas sem pânico.

Uma nova infecção de abrangência mundial chegou e precisamos ficar atentos a ela. Em 31/12/2019 foi descoberto o novo Coronavirus 2019 (nCoV 2019), identificado na China.

Tenho recebido em meu consultório pessoas com dúvidas sobre a nova doença, tipo: como agir aos sinais de resfriado, se é necessário uso de máscara entre outras dúvidas.

É preciso tudo isso mesmo?
Quais os verdadeiros riscos?
Estamos diante de uma nova pandemia?

Informação idônea é tudo! Elaborei algumas perguntas e respostas com essa finalidade.

1) O que é o nCoV 2019?
É um vírus da família coronavírus. Essa grande família viral não é novidade, foram identificados desde a década de 60. A maioria dos coronavírus humano causa infecção leve. O que chamou atenção, dessa nova cepa viral foi a sua capacidade de disseminação. A OMS (Organização Mundial de Saúde) já confirmou 40.000 casos da doença com 910 mortes (último boletim de 10/02/2020).

2) Como é feita a transmissão?
A transmissão se dá por via direta pessoa/pessoa através de secreções contaminadas como espirros, gotículas de saliva, tosse.

3) Qual é o período de incubação e transmissão da doença?
O período de incubação é de até 14 dias e a transmissão pode ocorrer enquanto durarem os sintomas.

4) Qual é o quadro clínico?
Sinas de resfriado: tosse, febre, falta de ar. Nos casos mais graves pode haver insuficiência respiratória e pneumonia.

5) Quem é considerado caso suspeito para a doença?
O ministério da saúde informa que sejam considerados casos suspeitos as pessoas que apresentarem febre e sinais de resfriado e que viajaram ou tiveram contato com aqueles que viajaram para a China nos últimos 14 dias. Portanto, pessoal, a grande maioria dos casos de resfriado NÃO É CORONAVÌRUS.

6) Qual é a gravidade e o tratamento da doença?
A grande maioria dos casos da doença é de infecção leve a moderada. Portanto apenas medidas gerais de hidratação, antitérmico, repouso. Os casos de morte correspondem a 3%. O grupo de risco é o representado por idosos, portadores de comorbidades e com imunossupressão.

7) Como podemos nos proteger da doença?
Hábitos de higiene como lavar com freqüência as mãos, principalmente após contato com doentes, lenço descartável para higiene pessoal, cobrir nariz e boca antes de tossir/espirrar. Máscara só é necessário em condições especiais (casos suspeitos, imunodeprimidos, tratamento para câncer etc.).

8) Qual é a situação do Brasil?
O Brasil tem 11 casos suspeitos, 28 casos já foram descartados desde o começo da notificação. O Brasil, assim como a América Latina e África continuam livres da doença. Vamos ficar atentos, mas no momento não estamos diante de uma pandemia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *